RN perderá R$ 600 milhões por ano com redução de ICMS sobre combustíveis

O projeto de resolução do Senado que impõe um teto para a alíquota de ICMS que Estados e municípios cobram pela venda de combustíveis é um golpe nas finanças do país.

Se confirmada a redução do limite de cobrança do ICMS para 18% de gasolina e álcool, e 7% sobre o diesel, os prejuízos chegariam a quase R$ 40 bilhões por ano para estados e municípios.

O projeto 24/2018, que prevê a mudança, foi apresentado pelos senadores Romero Jucá (MDB), líder do Governo Temer, e Randolfe Rodrigues (Rede). O Senado Federal tem poderes para estabelecer limites sem a necessidade de aprovação da Câmara ou do Executivo.

O governo Temer propôs a renúncia de ICMS como resposta ao lockout das transportadoras, mas sete governadores reagiram à ideia.

A Agência Saiba Mais teve acesso à tabela de análise de redução de ICMS no país já apresentada ao ministro da Fazenda Eduardo Guardia.

As perdas geradas pela redução do ICMS na gasolina são de R$ 23,2 bilhões. No caso do diesel, o prejuízo chega a R$ 15,5 bilhões. A redução da cobrança de ICMS no etanol também acarretaria uma perda anual de R$ 840 milhões para estados e municípios. Leia Mais

CORECON/RN PRESTIGIA FEIRA DAS PROFISSÕES DA UFRN

O Conselho Regional Economia do RN – Corecon/RN, participou nos dias 23 a 25/05/18, da Feira das Profissões, destinados aos alunos do ensino médio, que durante três dias buscam através de palestra motivacionais de 40 minutos, sobre a vida acadêmica de cada profissão, currículo e mercado de trabalho, para que eles possam decidir com maior convicção qual a sua tendência vocacional.
O Presidente do Conselho Regional, e o conselheiro Roberto Maximo, se alternaram nas palestras de motivação, aos estudantes. “Sim, essa Feira é de extrema importância, pois, proporciona aos alunos a terem um melhor discernimento sobre a vida acadêmica e, sem dúvidas, daqui sairá alguns futuros economistas. O Corecon-RN, sentiu-se honrado e agradece a UFRN e a empresa Junior pelo convite, na certeza da importância do referido evento, para a captação de novos alunos para os cursos de Ciências Econômicas” pontuou, Ricardo, Presidente do Corecon.

O papel do Estado no desenvolvimento e a situação econômica, social e política no Brasil

NOTA DO COFECON

O papel do Estado no desenvolvimento e a situação econômica, social e

política no Brasil

 

O Conselho Federal de Economia, entidade representativa dos 250 mil economistas brasileiros, vê com enorme preocupação o atual momento vivido por nosso País, que gera uma visão distorcida em relação ao papel que o Estado deve cumprir na promoção do desenvolvimento e no enfrentamento da crise.

A conjuntura atual nos revela que, no cenário econômico, as perspectivas da retomada do crescimento baseada no resgate da “confiança” não se viabilizou. Os dados sobre o desempenho do PIB, investimentos e emprego são preocupantes.

As consequências para o mercado de trabalho são aterradoras. Os dados mais recentes da PNAD/IBGE (março de 2018) revelam que o desemprego voltou a crescer, atingindo 13,7 milhões de pessoas, ou 13,1% da PEA. A situação é ainda mais grave quando se considera o

chamado desemprego ampliado – a taxa de subutilização da força de trabalho, que inclui desempregados por desalento e ocupados que cumprem jornada de trabalho aquém da que gostariam de cumprir – que alcançou nada menos que 27,7 milhões de brasileiros no 1º trimestre Leia Mais

UMA REFLEXÃO SOBRE A GREVE.

 

Um dia vi uma frase na traseira de um caminhão que dizia assim: “Enquanto os normais dormem os loucos abastecem o Brasil”. E diante dessa greve será que não podemos para pensar o seguinte:

Agora que os “Loucos” pararam de trabalhar quem sabe os “normais” acordem!!!

Acho que a chamada literatura submersa de frase de caminhão, foi muito feliz para conduzir a sociedade e autoridade a uma sabia reflexão….

Não será que os loucos, tinham “razão”, nem que seja em parte?

Mas trocadilhos a parte, avaliamos que o recado já foi dado, e está na hora das lideranças do movimento, começarem a liberar seletivamente as vias, a partir dos carros com produtos perecíveis, oxigênio, medicamentos, transporte de animais e produtos essenciais como os combustíveis, gás, etc…

O recado foi dado, e o mais importante, partindo de uma categoria sem partidarismo, mas com enorme poder de mobilização. Que o Governo entenda, que a tolerância de um povo tem limites.

O Gigante acordou. Ainda bem…

O movimento serviu fundamentalmente também, para ficar claro os erros estratégicos e históricos, iniciados no período dos governos militares e dos demais que os sucederam até os dias atuais, que fizeram nos anos 60 a 70, a opção pelo investimento no período do chamado “Milagre Brasileiro” pelo transporte modal de cargas por via rodoviária. Dependentes e caro, o transporte rodovia foi um equívoco estratégico, ao contrário dos investimentos em infraestrutura de vias ferroviárias definitivas e muito mais econômicas. Leia Mais

REDUÇÃO DO IMPOSTO PARA CONTROLAR ALTA DOS COMBUSTÍVEIS

Em artigo elucidativo, publicado na última quinta-feira (17), o Presidente do Corecon/RN, Ricardo Valério, com bastante lucidez apontava o caminho a ser seguido pelo Governo Federal, para uma solução de resposta imediata diante da crise que se descortinava com as paralizações dos caminhoneiros. Na mosca, o Presidente do Corecon/RN, foi certeiro. O Governo Temer, zera a CIDE para o óleo diesel e redução para a gasolina. Leia Mais

Salve 1º de maio, Dia do Trabalho!

Em nossa singela homenagem à classe trabalhadora nacional – apesar de não termos muito a comemorar – celebramos a enorme dignidade dos esforços e perseverança da laboriosa força de trabalho dos milhões de brasileiros.

Com a atual realidade, na qual alguns direitos foram suprimidos pela modernização da legislação trabalhista, atingimos a marca de mais de 13 milhões de desempregados, além de uma legião de subempregados e desalentados. Outra situação vergonhosa, infelizmente, é notarmos ainda a existência de trabalho escravo e a exploração infantil em pleno século XXI – inclusive com os aparatos tecnológicos e desenvolvimento que poderiam ajudar a transformar tal realidade. Leia Mais

CORECON e CERNE se unem para auxiliar nas ideias de gestão ao Executivo do RN

Pensando em soluções para combater a desigualdade social, gerar crescimento econômico justo e preservar os recursos naturais em prol de um desenvolvimento sustentável, requer planejamento. E quando duas entidades analisam de forma semelhante, gera parceria. O conceito do Conselho Regional de Economia do Rio Grande do Norte – CORECON/RN e do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia – CERNE são afins e, com isso, se unem para detalhar ideias, projetos e ações viáveis no intuito de sugerir aos candidatos do Poder Executivo norte-riograndense, agora em 2018.

Os respectivos presidentes Ricardo Valério (Corecon) e Jean-Paul Prates (Cerne) assinaram acordo de colaboração no dia 27 de abril durante o II Ciclo de Debates Econômicos, do Grupo de Estudos e Pesquisas em Espaço, Trabalho, Inovação e Sustentabilidade – GEPETIS, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN. Segundo o documento, um conselho diretor será formado para que a cooperação atue em análises do contexto estadual e na elaboração de ações, projetos e debates relacionados com o futuro socioeconômico do RN. Leia Mais