ECONOMIA FRACA E DESEMPREGO E JUROS EM ALTA GERAM DÍVIDAS

Segunda-feira (23), o economista, Ricardo Valério, Presidente do Corecon/RN, concedeu entrevista ao RN 2ª Edição, da IntertvCabugi, que por sinal,  foi reprisada, hoje 24), no Bom Dia RN.

Ricardo abordou assuntos de extrema relevância do cotidiano da população, que são as taxas de juros que efetivamente, têm impacto nas finanças domesticas, provocando enorme índices de inadimplência em alta no Brasil, que ora, chegam a cerca de de 62 milhões de brasileiros com débitos, que totalizam a R$ 273 bilhões de reais, de valores em médias de 4.426 por CPF das pessoas.

Fatores tais como, economia ainda recessiva, o desemprego em alta e taxas de juros extorsivas, são entre outros, motivos para 4 em cada brasileiro está com dívidas, segundo pesquisa da Serasa. Temos que considerar ainda que a falta de uma boa Educação Financeira, tem contribuído à elevação de pessoas que não conseguem cumprir suas dívidas em dia. Além, de no RN em particular, os atrasos nos salários e décimo terceiro, ser um outro enorme fator de agravamento, notadamente para a categoria dos servidores públicos, concomitantemente refletido no comércio e toda cadeia produtiva.

Ainda no Bom Da RN, desta terça-feira 24), tivemos outra entrevista do economista e Conselheiro do Corecon-RN, Leovigildo Cavalcanti, Diretor da FACEM e professor da UERN, tratando das questões da sazonalidade dos empregos no RN, face notadamente a nossa indústria da fruticultura do melão, em Mossoró e região.

O ex-Presidente do Corecon-RN, Leovigildo Cavalcanti , avaliou com muita propriedade que perdemos algumas vagas de emprego, infelizmente, pela condições de logística competitiva com o Estado do Ceará, que dispõe melhores estruturas portuárias e de um mercado mais pujante, o que vem gerando uma maior atratividade para o nosso vizinho. Rio Grande do Norte amargando com algumas perdas de vagas de emprego e de dividas em nossas exportações, já que parte do melão produzido no território potiguar passa a ser exportado pelo porto cearense.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website