Corecon/RN faz recomendações sobre o uso do 13º

Ricardo Valério Presidente do Corecon/RN

Final do ano chegando e com ele a expectativa do 13º salário. Cerca de 211 bilhões de reais, que representam algo como 3,2% do PIB nacional, irão irrigar a economia em todo o país, oriundos de mais 83 milhões de trabalhadores nacionais a receber o décimo. Deste montante cerca de 1,15 milhões de pessoas são do Rio Grande do Norte, onde mais de 50% são empregados do mercado formal celetista ou estatutários, cerca de 48% de pensionistas e aposentados do INSS e 2% de empregados domésticos que vão injetar na economia potiguar perto de 2 bilhões, se forem pagos os 13º dos salários do Estado também.

O presidente do Conselho Regional de Economia do RN – CORECON/RN, Ricardo Valério Menezes , analisa com otimismo os impactos do 13º salário, que começa a pagar a sua primeira parcela dos 40% normalmente junto com salários de novembro e devem ser pagos o restante até 20/12/18, e que irá proporcionar números animadores e positivos para o cenário da economia.

Mas, o Presidente do Corecon-RN, aproveita também, para passar algumas recomendações para o uso cauteloso do décimo terceiro salário, notadamente para os que estão entre os mais de 64 milhões de brasileiros endividados, segundo as pesquisas do SPC/ Serasa nacional. Para quem está com dívidas, infelizmente é recomendável que seja dada prioridade a quitação das dívidas, começando pelas às mais onerosos e de juros mais caros, que são as de cartões de crédito e cheques especiais, que destrói os orçamentos familiares, afirma Ricardo Valério. É imprescindível para você poder começar o ano novo com mais equilibro, fazer seu planejamento orçamentário, para ver se haverá limites para os desejáveis e bem-vindos presentes. Mas é indispensável o consumidor projetar as despesas que terá no início do ano, gastos extras de IPTU, IPVA, IR, matrículas e material escolares, pesam muito não orçamentos, assim é prudente guardar uma parte do décimo às inevitáveis despesas de início de ano. Sabemos que não é uma decisão fácil, afinal somos consumidores movidos muito mais pelo emocional, do que pela o racional, como bem definiu o Prêmio Nobel de economia de 2017, Richard Thaler.

O Conselho de Economia destaca ainda, que por outro lado, este é um período importante também, para busca de recomposição da renda familiar, notadamente para quem está desempregado e desalentado. Já começaram as contratações temporárias, assim os trabalhadores têm que ficar atentos e lutar com a perspectiva em dar a volta por cima, irem a retomada do emprego com carteira assinada, pois estão abertas mais de 4 mil vagas no comércio e o setor ligada à cadeia do turismo.

E cerca de 20% das vagas temporárias, podem se tornar em empregos definitivos. Para isto, os Economistas recomendam que os contratados para essas vagas temporárias, ofereçam a sua excelência na prestação de seus trabalhos, se esforcem para serem competentes e criativos, demonstrar determinação e vontade de vencer no seu emprego. Se reinventarem se for possível, e tenham foco e gana para que você possa conquistar uma vaga definitiva.

Segundo dados do SPC Brasil e da Confraternização Nacional de Dirigentes Lojistas – CNDL, cerca 73

Mil vagas serem abertas só na área de comércio Supermercado, ainda inferior às mais de 130 mil ofertadas antes da crise em 2013. Para já é uma sinalização no aumento da confiança dos consumidores para o início da reação ainda que modesta da nossa economia.

Os números apontam que 72% dos brasileiros, que representam cerca de 110 milhões de consumidores, pretende fazer compras de 4 a 5 presentes, gastando em média

R$ 116,00, do valor médio do décimo terceiro da ordem de R$ 2.251,00 pagos aos 83 milhões de trabalhadores formais, que vão receber do abono de Natalino e que irão alavancar as vendas no comércio em todo território nacional.

“Outro fator positivo para estímulo às compras é a queda dos juros, embora ainda altos, estabilidade do dólar, a baixa de preços pela inflação controlada por força da recessão, que refletem nos valores de alguns produtos. Outro importante fator para a animação do comércio, é o crescimento vertiginoso do mercado virtual via as vendas pela internet, que estimula compras pela comodidade e facilidades de pesquisas de preços e fechamentos das vendas”, afirma o presidente do Corecon-RN, economista Ricardo Valério.

RECOMENDAÇÕES E DICAS PARA USO RACIONAL DO SEU DÉCIMO

Para os consumidores que não estejam endividados, cuja a recomendações já foram por aqui tratadas para priorizar a liquidação das mesmas, notadamente as com cartão de crédito e cheque especial, para não agravar as suas finanças para 2019, segue algumas recomendações e dicas para o uso mais racional e equilibrado do seu décimo terceiro salário:

1 ) Seja racional e não emocional ao efetuar compras. Prudência e equilíbrio são atitudes primordiais para você não estoura o limite previamente estudado em seu planejamento orçamentário;

2)É importante fazer a lista dos presentes e estipular o valor limite de cada lembrancinha. Der preferência em compras à vista, usufruindo dos descontos de pagar a dinheiro ou no débito. Não tenha vergonha de perdi descontos. Isto é uma virtude do consumidor consciente;

3 ) Opte por utilizar o 13º salário para fazer compras, ao invés de extrapolar no uso do cartão de crédito, e gerar novas dívidas;

4) Separe pelo ao menos 20% do valor do seu décimo para eventualidade e despesa de início de ano, IPTU, IPVA, material escolar e férias crianças, O que sobrar mantenha num investimento ou poupança para seu futuro;

5) Antecipe algumas compras de artigos de alimentação e bebidas destinadas às ceias de Natal e Ano Novo, mas se atente à validade e pericidade dos produtos;

6)Já em relação a vestuário, o ideal é aguardar as promoções do início do ano, cujos descontos podem ser superiores aos 50%;

7) Pesquise muito e pechinche, e use seu poder de barganha, se for levar mais de um presente da mesma loja;

8) Compare os preços pela internet, economizando tempo e dinheiro no deslocamento e estacionamentos;

9) Atente-se aos valores do frete, caso opte comprar pela internet, e compare com o custo benefício em adquirir em lojas físicas;

10) Ainda sobre compras online, certifique se o site é de confiança e atenção ao prazo de entrega, principalmente se for para presentear. Devido a época, pode existir atrasos decorrentes das transportadoras;

11– Valorize também o mercado local, compras pela internet só sendo realmente vantajoso para sei bolso. Não sendo, prefira o mercado local, assim você contribui com a arrecadação dos impostos e a geração empregos dentro do Estado;

12)Por fim lembre-se que o valor do presente é muito mais sentimental do que material. Presentes caros em momentos de crises, pode pesar no seu orçamento e fazer falta no futuro. Seja acima de tudo um consumidor consciente e racional e ótimas compras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website