Economistas orientam como gastar o décimo

Final de ano chegando, com enormes expectativas com a vinda do décimo terceiro salário e seu correto direcionamento, têm levados os economistas às entrevistas nos principais veículos de comunicação de nossa capital.

Três entrevistas em dois dias, sendo duas o presidente do Corecon/RN, Ricardo Valério Costa Menezes e uma outra com o Economista Jurandir Nóbrega, nos telejornalismo das TV Record, Potiguar Noticais/Band e IntertevCabugi/Bom dia RN, nestas segunda e terças-feiras.

Embora as pesquisas do SPC/Serasa indiquem que muitos brasileiros vão às compras para alívio do nosso comércio, alguns irão destinar, como aliás têm orientado os economistas, em as suas participações de entrevistas: “Que devem ir as compras com prudência e em caso de terem dívidas, infelizmente elas são prioritárias para quitação das mesmas, notadamente as mas caras, como Cartão de Crédito e Chegue Especial, para os que tiverem em meio aos 63 milhões endividados em todo o Brasil”, reafirmou Ricardo Valério. Para quem faz um bom planejamento, é recomendável guardar uma parte do décimo para as despesas extras de início de ano, como IPTU, IPVA, material escolar e as despesas de extras do período de férias da família.

Ainda há uma preocupação dos economistas com a lamentável e muito preocupante, a situação dos servidores do Estado, que ainda permanecem com salários em atrasos, irresponsavelmente há mais de 30 meses, um verdadeiro caos social, gerando uma demanda negativa em todas as atividades e principalmente no comércio.

Esta aberração, de má gestão pública se configurando, muito possivelmente deixarão de circular em nossa economia, cerca de R$ 1 milhão, pois não existe boas perspectivas para que o Governo Findo, pague os décimos terceiros (parte 2017/2018) e nem os salários de dezembro dos servidores, o que ocorrendo será uma lástima para cerca de 110 mil servidores do Estado, envolve do um contingente de cerca de 500 mil familiares e seus dependentes.

“Estamos através do Conselho Regional de Economia atentos e cobrando uma posição do governo Robinson para pelo ao menos amenizar a situação dos nossos servidores, notadamente os de salários mais baixos”, finalizou o Presidente do Corecon/RN, Ricardo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website