Estrutura produtiva do Rio Grande do Norte: estimativas a partir de matrizes insumo-produto para os anos de 2010 e 2015.

Resumo: Este trabalho visa caracterizar a estrutura produtiva do estado do Rio Grande do Norte para os anos de 2010 e 2015 por meio da estimação de algumas matrizes comuns à abordagem insumo-produto. Para tanto, estima-se a matriz de consumo intermediário e, a partir disso, as matrizes de coeficientes técnicos e a inversa de Leontief. As matrizes estaduais estimadas permitiram comparações com o nível nacional e conclusões acerca das interligações entre atividades presentes no estado.

Da análise empreendida verifica-se que: i) a atividade com o maior multiplicador de produção, em 2010, para o RN, é a atividade de Alimentos; ii) em 2015, pelo mesmo critério, a atividade de maior encadeamento para o estado é a Fabricação de Produtos do Fumo; iii) observa-se, em relação ao âmbito nacional, um peso desproporcional da administração pública, pelo método de extração hipotética constatou-se que essa seria a atividade-chave para o estado. Ademais, a comparação da estrutura produtiva estadual com a nacional revela o caráter pouco encadeado da indústria do RN. Logo, sugere-se que os efeitos de transbordamento do crescimento para o estado, provenientes de aumentos na demanda final nacional pelas atividades com elevadas ligações pouco afetariam a produção norte-rio-grandense.

Autores: Joelson Oliveira Santos, Josué Pedro André Costa e Fabrício Pitombo Leite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website