ANÁLISE DAS ANUIDADES DO CORECON-RN, SINALIZA REDUÇÃO DE 42%.

Em um estudo comparativo realizado pela Comissão de Tomada de Contas – CTC, sinalizou a boa nova, para a política assertiva da direção do Conselho de Economia do RN, que desde o ano de 2017, passou a adotar uma prática de redução gradativa da anuidade do Corecon-RN, promovendo o congelamento dos valores, com vista à enquadrar os valores na realidade de mercado, de dentro de uma média nacional, comparando ao tamanho do mercado, em que o Economista está inserido em seus próprios Estados.

Assim, a forma em que eram tratados os reajustes das anuidades de contribuição ao Conselho Regional de Economia, sofreram mudanças profundas, deixando de acompanhar o reajustes anuais do COFECON, para poder beneficiar nossos economistas, passando a implementar ao realismo do mercado local, ainda que sacrificando a arrecadação do Corecon-RN.

Por esta decisão presidencial fundamentada nos estudos da CTC e respaldada pela plenária, o Conselho promoveu enxugamento de sua estrutura de pessoal e operacional, para permitir uma melhor política orçamentária ao Corecon-RN, de forma a podermos passar a manter congelada o valor da anuidade – já contando com o ano de 2021 por 5 anos, para beneficiar diretamente, ao máximo, todos economistas registrados.

Obviamente, desde a implementação desta forma, passamos a sofrer com todas as questões implícitas orçamentária envolvidas nas projeções orçamentárias, que vem anualmente sofrendo reduções significativas, mas, dentro do realismo fiscal necessário.

A partir deste novo cenário, passamos a analisar a evolução ano a ano, identificamos que medida assertiva do Corecon-RN, de manter o valor cobrado da anuidade desde ano de 2017 congelada, geraram uma expressiva redução da ordem, acumulada para 2021, de 42,11%, conforme demonstramos no quadro abaixo, invertendo a tendência anterior de reajustar próximo ao limite regulamentado pelo Cofecon e, que o Conselho do RN, passou a ter uma postura contrária à política de reajuste anual do Conselho Federal.

Desta forma, foi mantida uma política de muitas adequações e cortes orçamentários, foi o que conduziu o nosso Conselho de Economia a vir se mantendo no equilíbrio, numa rara exceção em relação à realidade dos demais conselhos, notadamente, do Norte/Nordeste. Este esforço permitiu a redução acumulada, expressiva, de mais de 42% de economia na taxa anual do Corecon-RN para os economistas filiados. Uma demonstração clara de comprometimento do Conselho com a sua classe, levando-se em consideração, ainda mais em período de pandemia, em que vivemos.

A pesquisa, realizada com muita propriedade pelo Conselheiro Regional Economista e Vice-Presidente, Cândido Gabriel de Araújo, demonstrou claramente a evolução e ganhos reais dos últimos 5 anos para os economistas, ao mesmo tempo o Vice-Presidente Cândido, fez uma reflexiva apuração comparativa com outros conselhos de profissões similares. “ Entretanto, continuaremos defendendo que nosso Conselho permaneça com a assertiva política de congelamento até obtermos o total equilíbrio de mercado”, afirma o Presidente do Corecon-RN, Ricardo Valério, ao mesmo tempo em que parabeniza o Vice- Presidente Cândido, pelo o utilíssimo estudo e pesquisa realizado junto aos demais Corecons. “Excelente, trabalho”, Finalizou.

ANÁLISE DOS DESCONTOS SOBRE ANUIDADES NO PERÍODO DE 2017 A 2020

Analisando a ação positiva tomada pelo Corecon-RN, na qual de mantém o valor cobrado das anuidades congeladas desde o ano de 2017 até a do próximo ano, demonstra que os Economista do Estado do RN contam com um desconto acumulado de 42,11%, conforme quadro abaixo, invertendo a tendência anterior de reajustar próximo ao limite regulamentado pelo Cofecon.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website