Professor Joacir Rufino, membro do Centro Internacional Celso Furtado

O professor Joacir Rufino de Aquino, do Campus de Assú/UERN, foi indicado para o quadro de associados do Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento. Entidade de suma importância dedicada a prevalecer vivo o pensamento do renomado professor de economia, o paraibano Celso Furtado, grande intelectual do século XX, que neste 2020, fez seu centenário. Leia Mais

Proposta entregue ao Ministério da Infraestrutura prevê investimento de R$ 3,6 bilhões para novo porto em Natal

Uma proposta entregue nesta terça-feira (15) ao Ministério da Infraestrutura prevê R$ 3,6 bilhões em investimentos para implantação de um novo terminal portuário em Natal e a adaptação do atual porto da capital ao custo de R$ 3,6 bilhões. De acordo com a proposta, os investimentos são de longo prazo e poderiam ser realizados por etapas. Leia Mais

Corecon-RN apoia apresentação do Projeto Porto Oceânico de Natal

O presidente do Conselho Regional de Economia, Ricardo Valerio Menezes se congratula com o senador Jean Paul em apoio ao Projeto Integrado do novo Porto Oceânico do RN, que pode ser um marco muito importante para o desenvolvimento do estado, com integração modal do Porto ao nosso Aeroporto de cargas (Destravando a intenção de um Hurb) através de ramais ferroviários ao aeroporto de Natal, Assu, Macau, Mossoró, Jucurutu e Caicó para escoamento da produção de minérios e calcário na região Seridó e da nossa fruticultura na região de baixo Assú e do Pólo Oeste. Leia Mais

Lançamento: “O paraibano Celso Furtado: centenário de um pensador genial”

O Fórum Celso Furtado de Desenvolvimento da Paraíba e o Conselho Regional de Economia da Paraíba realizam nesta sexta-feira (18) o lançamento do livro “O paraibano Celso Furtado: centenário de um pensador genial”. O evento terá lugar no Auditório Azul (211) do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da UFPB, às 10:30, e faz parte das comemorações de centenário do célebre economista. Leia Mais

Nota do Cofecon – Em defesa da renda básica para a promoção da cidadania

A pandemia proporcionou uma conjuntura que colocou o Brasil diante da oportunidade única de repensar formas de enfrentar a profunda desigualdade e a persistente pobreza estrutural – aquela que não pode ser definitivamente diminuída pelos efeitos benéficos da estabilização e crescimento econômico – em continuidade às medidas emergenciais para assistir aos mais atingidos pelas consequências do necessário distanciamento social. Leia Mais