APELO AOS ECONOMISTAS A UMA MAIOR PARTICIPAÇÃO NAS REDES SOCIAIS DA NOSSA CATEGORIA.

Seque artigo publicado ontem(18) em nossa redes sociais sobre o nossa Agricultura Familiar do nosso delegado economista professor Rufino da UERN de Assu. Solicito que leiam, curtam e compartilhem.

Os espaços que abrimos em todas as nossas redes sociais são para difusão dos trabalhos dos nossos economistas. Mandem seus artigos, notícias, curso etc. que teremos prazer em divulgar em todas as redes sociais que estamos presentes. É muito importante que os senhores(as) curtam e compartilhem as postagens para a valorização e maior divulgação dos trabalhões e NOTÍCAIS da nossa categoria. Contamos com a incorporação de todos a este projeto de difusão da nossa categoria. Pois como muito bem diz um ditado popular: Leia Mais

IMPORTÂNCIA, HETEROGENEIDADE E POBREZA DA AGRICULTURA FAMILIAR NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

Joacir Rufino de Aquino
Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
Assú – Rio Grande do Norte – Brasil
joaciraquino@yahoo.com.br
José Aldemir Freire
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
Natal – Rio Grande do Norte – Brasil
josefreire@ibge.gov.br
Augusto Carlos A. T. de Carvalho
Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
Natal – Rio Grande do Norte – Brasil
augustocat@yahoo.com.br

GEOTemas, Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, Brasil, v. 7, n. 2, p. 66-92, jul./dez. 2017.

RESUMO

O objetivo deste artigo é analisar a importância socioeconômica e a heterogeneidade da agricultura familiar no meio rural do estado do Rio Grande do Norte (RN). Para tanto, utiliza dados e tabulações especiais do Censo Agropecuário 2006, do IBGE. Após apresentar um breve balanço da evolução da estrutura agrária potiguar, e discutir as suas especificidades à luz da literatura sobre o tema, o trabalho demonstra que a agricultura familiar é o setor predominante em número de estabelecimentos, pessoal ocupado e produção de alimentos no campo, embora detenha apenas um terço das terras agrícolas. Além disso, os dados trabalhados evidenciam que o segmento familiar norte-rio-grandense é caracterizado por uma marcante diferenciação interna, sobressaindo um elevado contingente de produtores pobres e extremamente pobres enquadrados no chamado Grupo B do PRONAF. Essas e outras evidências sinalizam que a agricultura familiar do RN não pode ser negligenciada, quer seja em termos analíticos, quer seja do ponto de vista das políticas públicas, sendo fundamental avançar na compreensão de suas diferentes dimensões a fim de planejar ações estruturantes visando à promoção do desenvolvimento rural no estado. Leia Mais

Avaliação de Empresas *Valuation* Na Perspectiva da Negociação Societária e na Esfera Judicial.

Em mais uma parceria do Corecon/RN, efetivada por seu presidente, Ricardo Valério e o professor/facilitador Gabriel Martins, oferece aos economistas a participação no curso Avaliação de Empresas *Valuation* Na Perspectiva da Negociação Societária e na Esfera Judicial, em condições especias****, oportunizando a todos os profissionais a manter-se atualizados e agregando novos conhecimentos, que certamente, lhes serão úteis ao mercado. Leia Mais

TORÇO POR NOSSA SELEÇÃO E MAIS AINDA POR ELEIÇÕES 2018.    

Não me iludo com a copa do Mundo ao ponto de ficar anestesiado. Mas gosto de futebol e torço sim pela a conquista do hexa, embora ache pouco provável conquistarmos, até porque o nosso maior problema não é saber jogar bola, isto sabendo demais, afinal num país de poucas oportunidades sociais, toda criança pobre, sonha um dia ser um jogador. Assim conduzidos por estes sonhos, as primeiras brincadeiras de todo garoto da periferia é aprender a jogar futebol, até porque a bola é um artigo mais barato que os livros, e os campos de pelada tem em cada esquina, já escolas longe das casas. Leia Mais

PODEMOS SER MELHORES

ALCYR VERAS (economista e professor universitário)

Neste ano de 2018, dois grandes e marcantes eventos poderão contribuir para despertar o senso de otimismo do brasileiro que, atualmente, está se deixando levar por uma contagiante onda de negatividade. São eles: a Copa do Mundo de Futebol e as próximas Eleições de outubro.

No cotidiano, sente-se que uma considerável parcela da população brasileira está insatisfeita com a atual situação do país. A preocupação no sentido da busca incessante por melhores dias torna-se um sentimento saudável e construtivo. O que não devemos fazer é, irracionalmente, mergulharmos no ceticismo, afogando-nos na incredulidade. Quando desaparece a fé no ser humano, é sinal de que nada mais resta. Quando colocamos nossa atenção no foco negativo das coisas, elas aumentam de tamanho e, além disso, anulamos as boas oportunidades que podem aparecer. Leia Mais

NOTA

Natal, 26 de junho de 2018

 

NOTA

 

O Corecon/RN, para cumprir solicitação do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, que também segue a determinação da resolução 233 do CNJ – Conselho Nacional de Justiça, de 13/06/2016, a qual o TJ/RN iniciou o desenvolvimento do sistema de NUPEJ – Núcleo de Perícias Judiciais-, utilizando o meio eletrônico, pede aos economistas que façam o recadastramento de Perícias Judiciais. Leia Mais

Cursos 2018 Cursos de A3P 2018 acontecem em todo Brasi

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) começa este mês a ofertar cursos presenciais de “Sustentabilidade na Administração Pública” (Agenda A3P), nas cinco regiões do país: Norte, Nordeste, Sul, Sudeste e Centro-Oeste.
Tem direito a certificado quem acompanhar o curso nos dois dias de duração. As inscrições são gratuitas e são feitas através do link de cada região.

JUROS DA ANTECIPAÇÃO DE RECEITA DOS ROYALTIES SÃO ALTOS

Um alerta aos deputados e aos os gestores públicos, sobre os juros que foram sinalizados pelo líder do Governo Dison Lisboa(PSD), por ocasião da sessão de ontem(13), na ALERN, que aprovou a antecipação de Royalties do Petróleo da ordem de 162 milhões de reais por parte do Governo, são muito aquém do razoável por parte do Banco do Brasil.

O Banco do Brasil, atualmente concede empréstimos de capital de giro da ordem de 1.18% a.m para as empresas, muitas vezes sem as devidas garantias reais, não se justifica emprestar ao Governo do Estado na razão de 1.6% a. m, muito acima da taxa dos créditos destinados  ao comércio, quando a abertura do crédito por antecipação ao Governo do Estado, trata-se de um empréstimo com garantias reais, tendo em vista, que estão com o lastro das receitas mensais dos royalties do petróleo. Leia Mais

A MODERNIZAÇÃO DA FRUTICULTURA IRRIGADA E SEUS IMPACTOS SOCIOECONÔMICOS E AMBIENTAIS NO VALE DO AÇU

Vicente Eudes Lemos Alves

Prof. Dr. Programa de Pós-Graduação em Geografia – Universidade Estadual de Campinas –

UNICAMP

veudes@ige.unicamp.br

Joacir Rufino de Aquino

Prof. Ms. Departamento de Economia – Universidade do Estado do Rio Grande do Norte –

Campus de Assú

joaciraquino@yahoo.com.br

Raimundo Inácio da Silva Filho

Prof. Ms. Departamento de Geografia – Universidade do Estado do Rio Grande do Norte –

Campus de Assú

risfilho@ig.com.br

Artigo recebido 10/04/18 e aceito em 14/04/18

 

Artigo publicado originalmente na Revista GeoInterações, Assú, v.2, n.1 p.35-56, jan./jun. 2018.

 

Resumo

O objetivo desse artigo é discutir as características da modernização da agricultura irrigada no estado do Rio Grande do Norte, em particular na microrregião Vale do Açu. Para tanto, recorre-se a referências bibliográficas pertinentes ao tema, ao levantamento de informações em órgãos públicos e a observações de trabalhos de campo.

O estudo demonstra que o processo de modernização da agricultura irrigada do Vale do Açu resultou em expressiva expansão produtiva regional cuja relevância se ampliou com a construção da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, no início dos anos 1980. As condições técnicas, econômicas, naturais e de localização mais favorável ao escoamento da produção atraíram o interesse do capital multinacional pela área fruticultora, estimulando a valorização das terras e a concentração fundiária. Leia Mais