Observatório Econômico – Corecon-RN: Segundo DIEESE, Natal-RN tem menor redução de preços

O Presidente do Corecon-RN, Ricardo Valério, comenta sobre os números divulgados pelo DIEESE no qual expõem Natal, como a segunda menor redução de preços realizados durante o mês de setembro, ficando numa variação na ordem de 0,68%, levando a um acúmulo nos últimos nove meses de um pouco mais de 10% e ao longo dos 12 meses na ordem de 20%, número muito elevado.

“Os culpados e vilões foram os aumentos óleo de soja, com mais de 40%, valor absurdo, o leite, feijão, as carnes e seus derivados e ainda estamos no período da entressafra”, afirma Ricardo Valério, Presidente do Conselho. 

 

 

Duplicação da BR-304: “SALVAR E PRESERVAR VIDAS”.

Desde época em que foi falado da construção do novo aeroporto de São Gonçalo do Amarante, como a grande obra para o Rio Grande do Norte, que nos posicionamos um tanto quanto reticentes, pois entendíamos que seria muito mais viável e econômico, a ampliação do excelente e bem localizado aeroporto de Parnamirim/RN, do que os altos investimentos em São Gonçalo, que sinalizavam as autoridades naquela me momento, é verdade, motivados pela instalação no novo Aeroporto de um Centro de Conexões que nunca veio para o RN. Leia Mais

Observatório Econômico – Corecon-RN: Operações financeiras pelo WhatsApp

O Presidente do Corecon-RN, Ricardo Valério, comenta sobre a liberação, para muito em breve, pelo Banco Central, de operações financeiras através do WhatsApp, compra, venda e transferências de recursos realizadas de forma muito simplificadas e fáceis, usando os smartphones.

O BC está avaliando e analisando toda a logística operacional e seus impactos que a medida poderá ter sobre à concorrência e sobre o sistema bancário de uma forma geral. Entretanto, é uma medida simplificada que irá estimular e facilitar as operações de compra, venda e transferência bancárias, como também estimular a concorrência bancária e, notadamente, dar acesso a milhões de brasileiros que não conseguem fazer parte do sistema bancário.

Nota do presidente do Cofecon – Os limites dos gastos públicos

O Conselho Federal de Economia, como regulamentador das atividades dos economistas e com atribuição legal de “contribuir para a formação de sadia mentalidade econômica” – que deve ser voltada para a promoção do bem estar social, a erradicação da pobreza extrema e a redução das desigualdades – mantem-se acima de eventuais interesses de grupos com motivações estranhas às mais legítimas de nossa profissão. Tais grupos se apegam à hipótese anacrônica de “contração fiscal expansionista”, … Leia Mais

PERDA DE ARRECADAÇÃO DO ESTADO CHEGA A MEIO BILHÃO

Em nossos comentários, ainda no final do mês de abril,  já estimávamos que até o final do ano de 2020, que o Governo do Estado, corria o risco de acumular perdas da ordem de um bilhão de reias e, tudo indica, que nossas previsões podem infelizmente a vir a se confirmar, visto que nesta sexta-feira(3), o Secretário de Planejamento do Estado , economista Aldemir Freire, revelou que até o presente momento o estado já perdeu quase meio bilhão de reais. Afora as perdas notadamente mais acentuadas do ICMS e do FPE, o Governo vem tendo gastos adicionais nas campanhas de combate e prevenção da COVID-19, nas aquisições de equipamentos para ampliação de mais 400 UTI’s e contratação de pessoal da área de saúde temporariamente, já tendo gastos cerca de 270 milhões de reais , o que deve agravar o rombo nas contas do Estado, em que pese os repasses compensatórios do Governo Federal.

Corecon-RN-Observatório Covid-19: Crédito para pequena e média empresa com linhas específicas

O Presidente do Corecon-RN, Ricardo Valério, fala sobre o crédito liberado pelo Governo Federal estimado na ordem de R$ 1 trilhão, o qual sempre foi um crítico, por causa do seu resultado pífio para pequena e média empresa, pelo nível de exigibilidade dos bancos, os quais poucos concretizam e concluem os formulários protocolares burocráticos para obtenção dos recursos.

O Governo anunciou, através do Ministro Paulo Guedes, que agora o crédito vai fluir com linha específicas para pequenas e médias empresas tomando como base a receita líquida de 2019, com prazo de 36 meses, com carência de 8 meses e juros da taxa Selic mais 1,25%.

Por mais ruim que pareça estar as coisas no mundo, haverá sempre algo positivo a ser visto

Muitas vezes em nossas vidas, temos quase tudo disponíveis em nosso dia a dia, enquanto muitos não tem nada em todos os dias. Quanto de nós temos o que vestir, uma casa para nós abrigar e a dispensa cheia para saciar nossa fome, enquanto muitos vivem ao relento e nem sempre comem todos os dias.

Assim, lembre-se de valorizar o muito que você tem, pois o amigo está entre os 25% privilegiados do mundo, nesta condição no momento. E veja: que agora no Brasil, descobrimos que temos quase 1/3 de população, cerca de 80 milhões de vulneráveis dependentes do auxílio emergencial e você possivelmente não é um deles. Leia Mais

Isolamento social não é prisão e, sim uma proteção de vida.

Como a Covid-19 não veio com manual de procedimentos, e o manejo e controle do vírus ainda é desconhecido para todos, a necessária flexibilização do Isolamento social, que a entidades empresariais vêm solicitando do Governo do Estado, deve começar possivelmente a partir do início de Maio, considerando que o varejo e os setores de serviços, alegam prejuízos econômicos expressivos. Leia Mais