Cesta básica

Terça-feira (5), o Conselheiro do Corecon/RN – Conselho Regional de Economia, o economista professor e diretor da FACEM/UERN, Leovigildo Cavalcanti concedeu entrevista à TV Costa Branca, de Mossoró, em rede com a Intervtv – filiadas da Rede Globo-, para o programa do Bom Dia RN, oportunidade em que analisou preços da cesta básica. Leia Mais

Basta de crimes socioambientais

O Conselho Federal de Economia vem a público externar o sentimento de tristeza e solidariedade às famílias envolvidas na tragédia ocorrida em 25 de janeiro, no município de Brumadinho, em Minas Gerais. A mineração é uma atividade fundamental para a economia do estado de Minas Gerais e de todo o país. É lamentável que a segurança das pessoas e o respeito ao meio ambiente tenham sido tão negligenciados pela mineradora Vale e pelo poder público. Leia Mais

Novos Conselheiros e Presidente do Cofecon são empossados

Nesta quinta-feira (31), no salão vermelho do Hotel Nacional, foram empossados os novos conselheiros com Cofecon – Conselho Federal de Economia, para o triênio 2019/2021, e o Presidente reeleito Welligton Leonardo, com solenidade extremamente concorrida, em que foram prestadas, inclusive, homenagens à vereadora morta, do Estado do Rio de Janeiro, Marielle Franco. A Vereadora esteve no ano de 2018, em solenidade igual, para posse do primeiro mandado do atual Presidente do Conselho. Leia Mais

Atenção Economista!

Senhor (a) Economista e Tecnólogo (a) em Gestão Financeira,

  1. O Conselho Regional de Economia da 19ª Região/RN, conforme dispõe o Parágrafo Único do Art. 17 da Lei nº 1.411 de 13/08/1951, estabeleceu que a anuidade devida pelos Economistas e Tecnólogos em Gestão Financeira inscritos no CORECON/RN deverá ser paga até dia 31 de março de cada ano. De acordo com a Resolução do COFECON nº 1.995, de 24 de setembro de 2018, fixou para o exercício de 2019, o valor máximo em R$ 577,33, mas o CORECON/RN decidiu em Sessão Plenária realizada no dia 01 de outubro do corrente ano manter o mesmo valor da anuidade de 2017 e 2018, ou seja, em R$ 528,00 que proporcionou um desconto acumulado em relação ao limite permitido de aumento (R$ 577,33) de R$ 102,13 de economia para a referida anuidade na modalidade de pagamentos antecipados, conforme descrito abaixo: Leia Mais

Economistas apresentam proposta de tributação

Ontem, (30) os professores e economistas Leovigildo Cavalcanti – Conselheiro do Corecon/RN- e Rodolfo Ferreira do Departamento de Economia/FACEM/UERN, estiveram presentes em uma reunião com o Secretário de Tributação, Carlos Eduardo Xavier e o Chefe de Gabinete da Secretaria de Planejamento, Flaubert Torquato, ocasião em que apresentaram proposta de um modelo de tributação (substituição tributária/antecipação tributária) a ser estudada para implantação no RN. Leia Mais

Indústria salineira potiguar: o princípio do fim.

A indústria salineira do RN está perdendo a disputa comercial com o sal importado do Chile.  Fortes setores econômicos ligados a indústria nacional do cloro e da soda cáustica localizada no Sudeste brasileiro, em nome dos seus interesses econômicos, trabalham para destruir a indústria salineira potiguar. Isso acontece devido à concorrência desleal do sal chileno, que representa a verdadeira e mais grave fonte dos problemas da indústria local. Leia Mais

Economistas explicam queda do crescimento da Indústria Extrativista e Economia Efetiva

Já se tornando uma rotina muito bem-vinda, pois, as participações dos economistas, nos meios de comunicação versando sobre temas que afetam diretamente a população, proporcionam um melhor entendimento de assuntos, até então, de pouco interesse e, que agora, desperta nos leitores, telespectadores e consumidores de outras mídias uma atenção mais efetiva. Os economistas buscam comentar assuntos de maneira que todos entendam com linguagem de fácil acessibilidade. Leia Mais

Apenas 23% das instituições de ensino superior do RN alcançaram faixa máxima

Levantamento publicado nesta terça-feira, 18, analisou o desenvolvimento acadêmico de 2.066 unidades educacionais – entre públicas e privadas – de todo o Brasil

Apenas 23% das instituições de ensino superior do Rio Grande do Norte alcançaram a faixa máxima do Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC), em uma escala que vai de 1 a 5, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Leia Mais