Artigo – A Previdência Rural e sua Importância para as Famílias Pobres no Nordeste: Resultados de um estudo de caso no Rio Grande do Norte

Por
Rusiano Paulino de Oliveira (Economista. Especialista em Geo-História do Rio Grande do Norte (UERN). Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais (PPEUR/UFRN). rusiano.paulino@gmail.comJoacir Rufino de Aquino (Economista. Mestre em Economia Rural e Regional (UFCG). Professor Adjunto IV do Curso de Economia da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN/Campus de Assú). joaciraquino@yahoo.com.br )

1 Introdução

A Previdência Social no Brasil, apesar de ter surgido na década de 1920, apresentou um baixo grau de atendimento da população do campo durante boa parte do século XX. Na verdade, somente com a promulgação da Constituição Federal de 1988 e a implementação das leis de custeio da seguridade social ainda no governo do presidente Fernando Collor de Mello é que se verifica a extensão de seus benefícios para os trabalhadores rurais e para o segmento da agricultura familiar (BELTRÃO; OLIVEIRA; PINHEIRO, 2000; DELGADO; CARDOSO JR., 2001). Leia Mais

Diagnósticos e recomendações para desenvolvimento do Nordeste é tratado em Carta do XXIX ENE realizado em Recife

A capital pernambucana, Recife, recebeu dos dias 24 a 26 de maio o XXIX Encontro de Entidades de Economistas do Nordeste – ENE, sob o tema “Pesquisas para o Desenvolvimento do Nordeste”, com a participação dos nove estados nordestinos. O Rio Grande do Norte esteve representado através do Conselho Regional de Economia – CORECON/RN, nas figuras do presidente Ricardo Valério Menezes, do chefe de fiscalização Augusto de Oliveira Neto e do economista Robespierre do O’ Procópio Barreto, pela Federação Nacional dos Economistas – Fenecon.

Leia Mais