Centro Celso Furtado realiza série de lives comemorativas

A fim de comemorar o centenário de nascimento do economista Celso Furtado, o Centro Internacional Celso Furtado realizará na próxima semana uma série de transmissões ao vivo nas quais discutirão vários aspectos do seu pensamento e sua aplicabilidade no Brasil contemporâneo. As transmissões podem ser assistidas pelo YouTube, no canal do Centro, sempre às 15 horas.

No domingo (26 de julho), data dos 100 anos, haverá o lançamento do volume 15 dos Cadernos do Desenvolvimento, bem como do livro “Celso Furtado. Os combates de um Economista” e da trilogia “Celso Furtado, esperança militante”.

Na segunda-feira (27) o presidente do Conselho Federal de Economia, Antonio Corrêa de Lacerda, participará de um webinar com o tema “Memória e Formação”. Participarão também a presidente do Corecon-RJ, Flávia Vinhaes, o economista Adroaldo Quintela e o ex-senador por dois mandatos Roberto Saturnino Braga. Participarão do debate André Furtado, doutor em economia pela Universidade de Paris I (Pantheon-Sorbonne); Rosa Freire d’Aguiar, viúva de Celso Furtado; e Luiz Felipe de Alencastro.

Na terça-feira (28), o tema será a obra-prima do economista homenageado: Formação Econômica do Brasil, livro lançado em 1959 e até hoje uma das principais referências nos cursos de Ciências Econômias em todo o Brasil. O economistas Ricardo Bielschowsky, Marcelo Arend e Alexandre Barbosa serão os debatedores.

Na quarta-feira (29), Carmen Feijó e Mauricio Coutinho, professores dos departamentos de Economia da UFF e Unicamp, respectivamente, debatem junto a Oswaldo Munteal (UERJ) o pensamento de Celso Furtado tendo como tema “Revisitando o subdesenvolvimento – a teoria e a sua visão de mundo”.

Na quinta-feira (30) a trajetória profissional de Furtado e suas realizações serão o tema do debate, que terá como título “O homem público, a importância do planejamento e a questão regional”. Gilberto Bercovici (USP) e Vera Cepeda (UFSCar) discutirão junto à economista Tânia Bacelar (UFPE).

Finalmente, na sexta-feira (31), o tema será “Cultura e Tecnologia – Como enfrentar os problemas brasileiros”. Cesar Bolaño (USP) e Eduardo Albuquerque (UFMG) e Helena Lastres (UFRJ), doutores em Economia, debaterão junto a Claudia Leitão (UFC).

Celso Furtado

Celso Furtado nasceu em Pombal, Paraíba, em 26 de julho de 1920. Graduou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela UFRJ e concluiu o doutorado na Universidade de Paris-Sorbonne com uma tese sobre a economia brasileira no período colonial. Em 1949 mudou-se para o Chile para integrar a Comissão Econômica para a América Latina (Cepal). De volta ao Brasil, assumiu uma diretoria do BNDE (atual BNDES) trabalhou na elaboração do plano de metas do governo JK e, enquanto morava em Cambridge, escreveu sua obra mais famosa, Formação Econômica do Brasil, publicada em 1959. A pedido do presidente Juscelino Kubitschek, criou a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Foi Ministro do Planejamento de João Goulart, teve seus direitos políticos cassados pelo Ato Institucional (AI-1) e Ministro da Cultura de José Sarney. Em 1997 entrou para a Academia Brasileira de Letras. Faleceu no Rio de Janeiro em 20 de novembro de 2004. Em homenagem ao centenário de seu nascimento, o Cofecon instituiu o ano de 2020 como Ano Celso Furtado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website