Economia e Negócios: Consumo de carne no Brasil é o menor desde 1996, aponta Conab

Segundo o órgão, o cenário de crise dos últimos anos vem derrubando o consumo total de carnes.
Por Estadão Conteúdo

O brasileiro consumirá neste ano a menor quantidade de carne vermelha por pessoa em 25 anos, estima a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Segundo o órgão, o cenário de crise dos últimos anos – com a recessão de 2014 a 2016, a lenta recuperação de 2017 a 2019 e a nova crise causada pela covid-19 desde o ano passado – vem derrubando o consumo total de carnes (bovina, suína e de frango) desde 2014. Leia Mais

As micro e pequenas empresas e o necessário acesso ao crédito

Originários notadamente do artesanato e do comércio, os empreendimentos de pequeno porte vêm, ao logo do tempo, participando ativamente da história econômica nacional, sobretudo pela sua grande relevância para os rumos tomados pelo mercado de trabalho no País. Nos dias de hoje, estão presentes em vários setores da economia e possuem participação igualmente importante nos cenários político e social. No Brasil, este tipo de negócio abrange 99% das empresas estabelecidas, responsáveis por 55% das ocupações formais e por quase 30% de tudo que é produzido no país (SEBRAE, 2020), e possuem grande importância para sustentação da economia brasileira. Leia Mais

Cenários Macroeconômicos da Economia Brasileira em 2021

Aluísio Alberto Dantas [1]

Os cenários macroeconômicos pós-pandemia são favoráveis à recuperação da economia brasileira em 2021, com uma projeção de crescimento de 3% do produto interno bruto nacional (PIB). A análise da conjuntura econômica brasileira divulgada pelo Ipea – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, no dia 30/03/2021, “aponta que o segundo semestre do ano deve ser marcado pela retomada do crescimento do PIB e pelo aumento da confiança de consumidores e empresários a partir do avanço da cobertura vacinal contra a Covid-19”.[2] As conclusões do Ipea estão apoiadas em hipóteses de controle da pandemia, ajustes nas contas públicas e crescimento da demanda agregada de bens e serviços do Brasil. Confirmados os pressupostos que fundamentam a pesquisa, com uma queda estimada em 0,5% do PIB total no primeiro trimestre deste ano, até o final de 2021 o País deverá registrar crescimento nos três setores da economia nacional. As projeções macroeconômicas do Ipea são as seguintes: Leia Mais

Páscoa com sabor mais amargo

Nesta sexta-feira (2) Santa, o Superintendente do Corecon-RN, o economista Ricardo Valério, no jornal RN 2ª Edição/Intertv comentou sobre o momento vivido neste período de páscoa. Logo na abertura deixou claro as dificuldades enfrentadas pelos consumidores e comerciantes: “Com toda certeza teremos uma páscoa menos doce este ano, e o varejo vai ter se contentar com um resultado mais para meio amargo do que para as doçuras dos chocolates”, frisou Ricardo.

As pesquisas da Confederação Nacional do Comércio sinalizam o menor resultado desde de 2008, com exceção dos supermercados que terão vendas ainda em alta, pois muitos consumidores vão as compras nas grandes redes.

As restrições de acesso às lojas especializadas em chocolates, vão incentivar o comércio digital, mas com toda certeza teremos uma queda nas vendas já sinalizada pelo CNC de 2.2% menor do que 1.6 bi de 2020 e não só no mercado de chocolates, mas também nos demais produtos da semana santa e da páscoa, como nos pescados, vinhos e ovos de páscoa.

O Superintendente do Corecon-RN, sugeriu aqueles que gostam de presentear: “Se seu presenteado concordar, uma dica importante: deixe para presenteá-los somente no domingo a tarde ou na segunda-feira com ovos de páscoa, pois você comprará o mesmo com cerca de 50% ou mais de descontos. Outra dica e até uma recomendação aos nossos consumidores: Procurem dar preferência a comprar ovos artesanais e caseiros.

Além de serem muitos saborosos e com maior teor de chocolate você vai está contribuindo com um empreendedor local e gerando a circulação da renda em seu próprio estado e valorizando centenas de produtores caseiros”, explicitou Ricardo Valério.

Ovos de páscoa

Torne sua páscoa mais doce e feliz. Compre ovos de páscoa artesanais de empreendedores locais, que além de serem mais saborosos que os industrializados, você ainda estará contribuindo para o fortalecimento da economia local e regional. E lembre-se: sempre que possível compre na sua cidade ou bairro e fortaleça o mercado da sua região e as mercadorias produzidas em terras potiguar. Compre o quê é daqui.