Cofecon consolida presença online durante a pandemia

Com a impossibilidade de realizar encontros presenciais durante a pandemia do novo coronavírus, as comissões permanentes e grupos de trabalho do Cofecon desenvolveram diversas atividades virtualmente durante o ano, com foco em dar continuidade ao plano de trabalho e dialogar com a população sobre a crise e os desafios socioeconômicos que surgiram com a Covid-19. Foram muitos os obstáculos, em especial quanto à adaptação às novas tecnologias, mas em 2020 a atuação do Cofecon se consolidou no meio digital.

A partir do mês de junho, tanto as sessões plenárias ordinárias quanto ampliadas ocorreram em formato virtual, garantindo tanto a segurança dos conselheiros federais e regionais quanto do corpo funcional do Sistema Cofecon/Corecons. A plataforma Zoom foi escolhida para sediar as reuniões. Todas as atividades realizadas pelas comissões e grupos de trabalho estarão detalhadas no Relatório de Gestão 2020, a ser divulgado no primeiro semestre de 2021.

Novas ferramentas

Durante o período de isolamento social, o canal do Cofecon no Youtube se firmou como uma importante ferramenta de compartilhamento de ideias com os economistas e a sociedade de uma forma geral. No início de dezembro deste ano, já eram mais de três mil pessoas inscritas, interessadas nos eventos virtuais e debates realizados pela autarquia. A Comissão de Comunicação, coordenada pelo conselheiro Waldir Pereira Gomes, esteve à frente de dezenas de eventos virtuais promovidos na plataforma.

Coordenada pela vice-presidente do Cofecon, Denise Kassama Franco do Amaral, a Comissão de Educação realizou 8 oficinas gratuitas, com início em maio, com transmissão no Youtube e acesso ao conteúdo pela plataforma de Educação a Distância do Cofecon – www.cofecon.org.br/ead. Ao todo, foram 1.638 inscrições realizadas por economistas, estudantes de Economia e profissionais de outras áreas, com emissão de certificados pela equipe do Cofecon.

Os temas apresentados foram Gestão estratégica e planejamento econômico-financeiro: desafios estruturais pós-crise; Planejamento estratégico; Criatividade, propósito e carreira; Introdução à Economia da Oralidade; Elaboração de projetos para captação de recursos; Perícia judicial em contratos financeiros; Inteligência de mercado: pesquisa de mercado e de opinião; e Finanças Pessoais.

Outra iniciativa importante da Comissão foi a realização de lives com os primeiros colocados das várias categorias do Prêmio Brasil de Economia 2019. Durante os encontros, os ganhadores apresentaram seus trabalhos e comentaram sobre o impacto do prêmio na trajetória profissional, além de dar dicas para os interessados em concorrer à premiação.

A Comissão Mulher Economista, coordenada pela conselheira federal Mônica Beraldo, criou, em 2020, os Prêmios Mulher Economista e Mulher Transformadora, focados em homenagear não só as profissionais da área que mais se destacaram e contribuíram para a Ciência Econômica, mas também aquelas que são agentes de transformação social.

A vencedora do Prêmio Mulher Economista, Denise Lobato Gentil, participou de live mediada pela presidente do Conselho Regional de Economia do Rio de Janeiro (Corecon-RJ), Flávia Vinhaes, e falou sobre “Dominância financeira e desmonte da Previdência Social. Como isso afeta as mulheres?”.

Já as seis indicadas ao Prêmio Mulher Transformadora estiveram em uma série de debates virtuais realizados no mês de setembro, chamada Mês do Economista Cidadão, para discutir temas como “Economia solidária como ferramenta de inclusão social”; “Perspectivas do terceiro setor e da economia solidária”; e “Transformando realidades: a importância do terceiro setor”.

A Comissão Mulher Economista também apresentou diversas lives, prestigiando a presença feminina no debate sobre “Destaque da China na economia mundial”, “Aspectos econômicos do racismo”, e “Mineração e desenvolvimento”. Importante destacar a realização de pesquisa com mulheres economistas, estudantes de Economia e com os Conselhos Regionais de Economia para conhecer o perfil desses grupos e planejar ações, no âmbito do Sistema Cofecon/Corecons, que possam impactá-los positivamente. O resultado será retratado na próxima edição da revista Economistas.

O Mês do Economista Cidadão foi organizado em parceria com a Comissão de Política Econômica, coordenada pelo conselheiro Fernando de Aquino, que mediou as lives “Renda Básica para promoção da inclusão social”, com o vereador Eduardo Suplicy e a Vice-presidente do Cofecon, Denise Kassama; e “O papel da política no desempenho econômico das nações”, com o economista Elias Jabbour. A Comissão de Política Econômica também organizou os debates de conjuntura que ocorrem na abertura das sessões plenárias, e que foram transmitidos no canal. Além disso, o coordenador gravou vídeos comentando as notas técnicas aprovadas em plenária, como forma de ampliar a divulgação do documento e atingir um número maior de pessoas.

Outra comissão que se destacou nas lives foi a de Desenvolvimento Regional, coordenada pelo conselheiro federal Lauro Chaves Neto. Durante o ano foram realizadas duas séries: “Economia do Nordeste em debate”, com representantes da região para discutir temas como Desenvolvimento Regional e Incentivos para o Nordeste; e o “Ciclo Cofecon de Debates sobre Desenvolvimento Regional”, com quatro encontros para abordar o assunto com diferentes enfoques: Zona Franca, Financiamento, Mercosul e Agronegócio.

Considerando a pandemia, as Comissões também apresentaram estudos e discussões sobre temas que impactaram diretamente a sobrevivência dos Conselhos Regionais de Economia. Como exemplo, a Comissão de Tomada de Contas, coordenada pelo conselheiro federal Carlos Alberto Safatle, propôs o aumento dos prazos para que os Regionais apresentassem as peças contábeis e manteve a análise dos processos apresentados.

Eleições on-line

Pela primeira vez na história do Sistema Cofecon/Corecons, todas as eleições ocorreram de forma virtual: tanto para a renovação de um terço dos conselheiros efetivos e conselheiros suplentes regionais, bem como indicar um delegado eleitor efetivo e um delegado eleitor suplente para as eleições do Cofecon; quanto a Assembleia de Delegados Eleitores e votação para escolher a presidência da autarquia para 2020.  Todos os processos foram acompanhados por auditoria externa, garantindo a legalidade.

A Comissão de Normas também autorizou a realização de eleições para a presidência do Cofecon e dos Corecons, exercício de 2021, de forma virtual, a partir da Resolução nº 2058, de 1º de dezembro de 2020, que altera dispositivo da Resolução nº 2.043, de 23 de abril de 2020, a qual institui medidas excepcionais para o enfrentamento do estado de calamidade pública decorrente da Covid-19 no âmbito do Sistema Cofecon/Corecons, e dá outras providências.

Segurança de dados

Considerando o aumento da presença virtual do Cofecon e a necessidade de garantir a segurança da rede, os conselheiros federais aprovaram a criação de um Grupo de Trabalho com vistas a orientar o processo de implementação da Lei Geral de Proteção de Dados (13.709/18), composto por membros do Cofecon e dos Corecons, com as seguintes atribuições: avaliar os mecanismos de tratamento e proteção de dados existentes e propor políticas, estratégias e metas; formular princípios e diretrizes para a gestão de dados pessoais e propor sua regulamentação; supervisionar a execução dos planos, projetos e ações; prestar orientações sobre o tratamento e a proteção de dados pessoais; promover o intercâmbio de informações sobre a proteção de dados pessoais com outros órgãos. O grupo ficou encarregado de elaborar plano de trabalho que contemple ações de transparência, mapeamento e registro de tratamento de dados; disponibilização de canal de exercício de direitos do titular; revisão de contratos, convênios e instrumentos congêneres; segurança da informação; e política de privacidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website