O IV Congresso de Economia & Gestão

O IV Congresso de Economia & Gestão – CONgest – é uma realização do Departamento de Economia da Faculdade de Ciências Econômicas/UERN, com o objetivo de estimular a
produção científica e o intercâmbio entre economistas, administradores, contadores, gestores ambientais e profissionais de áreas afins interessados em estudar e debater sobre economia, negócios, gestão e políticas públicas.

O IV CONgest será realizado no período de 27 a 31 de agosto de 2018, sendo concomitante realizados os seguintes eventos: VII Semana do Economista; II Semana do Contador; IV Semana da FACEM; III Encontro de iniciação Científica em Contabilidade. Leia Mais

Temer fez opção por manter privilégios

Nesta segunda-feira (4), o Presidente do Corecon/RN, Ricardo Valério, concedeu entrevista à Tv Ponta Negra (SBT), dissecando sobre de onde virão os recursos subsidiados que o Governo Temer utilizará pagar a Petrobras os R$ 0,46 da redução dos preços do Diesel. “Mas uma vez a conta cairá nas costas da população notadamente a mais pobre, pois, se dessa vez o governo não aumentou tributo, ele teve que reduzir verbas de projetos da área social, não poupando a saúde e a Educação, que terão seus serviços, ofertando mais precarizados ainda”, afirmou o Presidente. Leia Mais

A MODERNIZAÇÃO DA FRUTICULTURA IRRIGADA E SEUS IMPACTOS SOCIOECONÔMICOS E AMBIENTAIS NO VALE DO AÇU

Vicente Eudes Lemos Alves

Prof. Dr. Programa de Pós-Graduação em Geografia – Universidade Estadual de Campinas –

UNICAMP

veudes@ige.unicamp.br

Joacir Rufino de Aquino

Prof. Ms. Departamento de Economia – Universidade do Estado do Rio Grande do Norte –

Campus de Assú

joaciraquino@yahoo.com.br

Raimundo Inácio da Silva Filho

Prof. Ms. Departamento de Geografia – Universidade do Estado do Rio Grande do Norte –

Campus de Assú

risfilho@ig.com.br

Artigo recebido 10/04/18 e aceito em 14/04/18

 

Artigo publicado originalmente na Revista GeoInterações, Assú, v.2, n.1 p.35-56, jan./jun. 2018.

 

Resumo

O objetivo desse artigo é discutir as características da modernização da agricultura irrigada no estado do Rio Grande do Norte, em particular na microrregião Vale do Açu. Para tanto, recorre-se a referências bibliográficas pertinentes ao tema, ao levantamento de informações em órgãos públicos e a observações de trabalhos de campo.

O estudo demonstra que o processo de modernização da agricultura irrigada do Vale do Açu resultou em expressiva expansão produtiva regional cuja relevância se ampliou com a construção da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, no início dos anos 1980. As condições técnicas, econômicas, naturais e de localização mais favorável ao escoamento da produção atraíram o interesse do capital multinacional pela área fruticultora, estimulando a valorização das terras e a concentração fundiária. Leia Mais

O que é Perícia Grafotécnica?

“Assinar um documento seja ele uma procuração, escritura, cheque ou testamento, significa avalizar sua autenticidade, significa dar fé ao que está escrito. Mas, como comprovar a autenticidade e a veracidade dos fatos se alguém está negando a autoria caligráfica do mesmo? Como assegurar que seja feita justiça e que a verdade seja revelada? É para resolver estas e muitas outras questões que muitos Juízes Promotores e Advogados têm recorrido, à Perícia Grafotécnica visando esclarecer dúvidas referentes a lançamentos gráficos questionados.

Perícia Grafotécnica não é mágica, é ciência e como ciência sempre levará a resultados conclusivos, desde que suas leis e técnicas sejam seguidas com profissionalismo e imparcialidade.”

Curso de PERÍCIA GRAFOTÉCNICA em Recife, do Conselho Nacional dos Peritos Judiciais da

República Federativa do Brasil (CONPEJ). Os profissionais registrados na CORECON-RN e em dia com a anuidade terão 10% de desconto.
Em caso de pagamentos à vista terão mais 10% de desconto.
A carga horária é de 20 horas/aula, sempre das 9h às 18h.
Faça já sua inscrição pelo link:

https://pe.conpej.org.br/cursos/curso-de-perito-grafotecnico-natal-rn/

Maiores informações: conpejpe@conpej.org.br

(81) 3877-3963 – (81) 98230-9207

RN perderá R$ 600 milhões por ano com redução de ICMS sobre combustíveis

O projeto de resolução do Senado que impõe um teto para a alíquota de ICMS que Estados e municípios cobram pela venda de combustíveis é um golpe nas finanças do país.

Se confirmada a redução do limite de cobrança do ICMS para 18% de gasolina e álcool, e 7% sobre o diesel, os prejuízos chegariam a quase R$ 40 bilhões por ano para estados e municípios.

O projeto 24/2018, que prevê a mudança, foi apresentado pelos senadores Romero Jucá (MDB), líder do Governo Temer, e Randolfe Rodrigues (Rede). O Senado Federal tem poderes para estabelecer limites sem a necessidade de aprovação da Câmara ou do Executivo.

O governo Temer propôs a renúncia de ICMS como resposta ao lockout das transportadoras, mas sete governadores reagiram à ideia.

A Agência Saiba Mais teve acesso à tabela de análise de redução de ICMS no país já apresentada ao ministro da Fazenda Eduardo Guardia.

As perdas geradas pela redução do ICMS na gasolina são de R$ 23,2 bilhões. No caso do diesel, o prejuízo chega a R$ 15,5 bilhões. A redução da cobrança de ICMS no etanol também acarretaria uma perda anual de R$ 840 milhões para estados e municípios. Leia Mais

CORECON/RN PRESTIGIA FEIRA DAS PROFISSÕES DA UFRN

O Conselho Regional Economia do RN – Corecon/RN, participou nos dias 23 a 25/05/18, da Feira das Profissões, destinados aos alunos do ensino médio, que durante três dias buscam através de palestra motivacionais de 40 minutos, sobre a vida acadêmica de cada profissão, currículo e mercado de trabalho, para que eles possam decidir com maior convicção qual a sua tendência vocacional.
O Presidente do Conselho Regional, e o conselheiro Roberto Maximo, se alternaram nas palestras de motivação, aos estudantes. “Sim, essa Feira é de extrema importância, pois, proporciona aos alunos a terem um melhor discernimento sobre a vida acadêmica e, sem dúvidas, daqui sairá alguns futuros economistas. O Corecon-RN, sentiu-se honrado e agradece a UFRN e a empresa Junior pelo convite, na certeza da importância do referido evento, para a captação de novos alunos para os cursos de Ciências Econômicas” pontuou, Ricardo, Presidente do Corecon.

O papel do Estado no desenvolvimento e a situação econômica, social e política no Brasil

NOTA DO COFECON

O papel do Estado no desenvolvimento e a situação econômica, social e

política no Brasil

 

O Conselho Federal de Economia, entidade representativa dos 250 mil economistas brasileiros, vê com enorme preocupação o atual momento vivido por nosso País, que gera uma visão distorcida em relação ao papel que o Estado deve cumprir na promoção do desenvolvimento e no enfrentamento da crise.

A conjuntura atual nos revela que, no cenário econômico, as perspectivas da retomada do crescimento baseada no resgate da “confiança” não se viabilizou. Os dados sobre o desempenho do PIB, investimentos e emprego são preocupantes.

As consequências para o mercado de trabalho são aterradoras. Os dados mais recentes da PNAD/IBGE (março de 2018) revelam que o desemprego voltou a crescer, atingindo 13,7 milhões de pessoas, ou 13,1% da PEA. A situação é ainda mais grave quando se considera o

chamado desemprego ampliado – a taxa de subutilização da força de trabalho, que inclui desempregados por desalento e ocupados que cumprem jornada de trabalho aquém da que gostariam de cumprir – que alcançou nada menos que 27,7 milhões de brasileiros no 1º trimestre Leia Mais

UMA REFLEXÃO SOBRE A GREVE.

 

Um dia vi uma frase na traseira de um caminhão que dizia assim: “Enquanto os normais dormem os loucos abastecem o Brasil”. E diante dessa greve será que não podemos para pensar o seguinte:

Agora que os “Loucos” pararam de trabalhar quem sabe os “normais” acordem!!!

Acho que a chamada literatura submersa de frase de caminhão, foi muito feliz para conduzir a sociedade e autoridade a uma sabia reflexão….

Não será que os loucos, tinham “razão”, nem que seja em parte?

Mas trocadilhos a parte, avaliamos que o recado já foi dado, e está na hora das lideranças do movimento, começarem a liberar seletivamente as vias, a partir dos carros com produtos perecíveis, oxigênio, medicamentos, transporte de animais e produtos essenciais como os combustíveis, gás, etc…

O recado foi dado, e o mais importante, partindo de uma categoria sem partidarismo, mas com enorme poder de mobilização. Que o Governo entenda, que a tolerância de um povo tem limites.

O Gigante acordou. Ainda bem…

O movimento serviu fundamentalmente também, para ficar claro os erros estratégicos e históricos, iniciados no período dos governos militares e dos demais que os sucederam até os dias atuais, que fizeram nos anos 60 a 70, a opção pelo investimento no período do chamado “Milagre Brasileiro” pelo transporte modal de cargas por via rodoviária. Dependentes e caro, o transporte rodovia foi um equívoco estratégico, ao contrário dos investimentos em infraestrutura de vias ferroviárias definitivas e muito mais econômicas. Leia Mais

REDUÇÃO DO IMPOSTO PARA CONTROLAR ALTA DOS COMBUSTÍVEIS

Em artigo elucidativo, publicado na última quinta-feira (17), o Presidente do Corecon/RN, Ricardo Valério, com bastante lucidez apontava o caminho a ser seguido pelo Governo Federal, para uma solução de resposta imediata diante da crise que se descortinava com as paralizações dos caminhoneiros. Na mosca, o Presidente do Corecon/RN, foi certeiro. O Governo Temer, zera a CIDE para o óleo diesel e redução para a gasolina. Leia Mais