Campanha de vacinação contra o sarampo vai começar. Quem deve tomar

Ação para combater doença será realizada a partir do dia 6 de agosto em todos os postos de saúde do país. Conheça os grupos prioritários

 

 

Se inicia no mês de agosto, dia 6, a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo de 2018. A ação envolve todos os postos de saúde do Brasil e tem como alvo principal crianças de 1 a 5 anos. O dia de mobilização nacional – o chamado dia D – acontecerá em 18 de agosto, um sábado.

imunização contra essa doença exige duas doses. Normalmente, no setor público a primeira é dada aos 12 meses de vida, com a versão tríplice viral, e a segunda, aos 15 meses, com a tetraviral.

Isso vale para o ano todo. Porém, devido aos surtos que têm ocorrido em alguns estados do país, o governo convocou a campanha para aumentar a cobertura vacinal e impedir a disseminação do sarampo.

Segundo Isabella Ballalai, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (Sbim), a vacinação será feita indiscriminadamente dentro da faixa etária prioritária. Ou seja: mesmo as crianças que já receberam as duas doses poderão tomar uma terceira para assegurar sua proteção.

“O sarampo é uma doença que pode matar. E a vacina é a única forma de se prevenir contra ele. Os pais precisam entender a importância dessa campanha”, alerta Isabella.

Vale lembrar que, independentemente dessa força-tarefa, o Ministério da Saúdedisponibiliza duas doses do imunizante para todos até 29 anos de idade e uma dose única para aqueles entre 30 e 49 anos. Caso você não tenha recebido alguma delas, basta ir ao posto de saúde mais próximo e atualizar sua caderneta de vacinação.

A injeção é contraindicada apenas para gestantes, pessoas com imunidade baixa – causada por alguma doença ou medicação –, crianças expostas ou infectadas pelo vírus HIV e pacientes com história de crise alérgica grave após aplicação de dose anterior. Converse com um médico.

Fonte: Saúde Abril

 

 

Parabéns, novos economistas!

O Corecon/RN – Conselho Regional de Economia do Rio Grande do Norte -, através de seu Presidente,  Ricardo Valério e demais membros da diretoria e de todos que fazem parte do Conselho, sejam eles colaboradores diretos ou indiretos, vem saudar os novos formados em Ciências Econômicas de 2018.1, da UFRN – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, por abraçar esta nobre ciência. Leia Mais

ECONOMIA FRACA E DESEMPREGO E JUROS EM ALTA GERAM DÍVIDAS

Segunda-feira (23), o economista, Ricardo Valério, Presidente do Corecon/RN, concedeu entrevista ao RN 2ª Edição, da IntertvCabugi, que por sinal,  foi reprisada, hoje 24), no Bom Dia RN.

Ricardo abordou assuntos de extrema relevância do cotidiano da população, que são as taxas de juros que efetivamente, têm impacto nas finanças domesticas, provocando enorme índices de inadimplência em alta no Brasil, que ora, chegam a cerca de de 62 milhões de brasileiros com débitos, que totalizam a R$ 273 bilhões de reais, de valores em médias de 4.426 por CPF das pessoas. Leia Mais

Economistas em destaque

Não há como negar a forte presença das mídias em todos os setores da atividade humana, ampliando o campo de comunicação e possibilitando mais visibilidade aos que nelas navegarem. E os economistas não estão alheios a este fenômeno, ainda quando se vive uma crise financeira/fiscal/administrativa/política em todo país e por todos ou quase todos os entes da Federação.

O Rio Grande do Norte não é uma ilha. Portanto, está dentro deste contexto, e convoca seus economistas à mídia para trazerem à luz um pouco de discernimento sobre a crise que se instalou na terra potiguar. Leia Mais

APELO AOS ECONOMISTAS A UMA MAIOR PARTICIPAÇÃO NAS REDES SOCIAIS DA NOSSA CATEGORIA.

Seque artigo publicado ontem(18) em nossa redes sociais sobre o nossa Agricultura Familiar do nosso delegado economista professor Rufino da UERN de Assu. Solicito que leiam, curtam e compartilhem.

Os espaços que abrimos em todas as nossas redes sociais são para difusão dos trabalhos dos nossos economistas. Mandem seus artigos, notícias, curso etc. que teremos prazer em divulgar em todas as redes sociais que estamos presentes. É muito importante que os senhores(as) curtam e compartilhem as postagens para a valorização e maior divulgação dos trabalhões e NOTÍCAIS da nossa categoria. Contamos com a incorporação de todos a este projeto de difusão da nossa categoria. Pois como muito bem diz um ditado popular: Leia Mais

IMPORTÂNCIA, HETEROGENEIDADE E POBREZA DA AGRICULTURA FAMILIAR NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

Joacir Rufino de Aquino
Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
Assú – Rio Grande do Norte – Brasil
joaciraquino@yahoo.com.br
José Aldemir Freire
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
Natal – Rio Grande do Norte – Brasil
josefreire@ibge.gov.br
Augusto Carlos A. T. de Carvalho
Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
Natal – Rio Grande do Norte – Brasil
augustocat@yahoo.com.br

GEOTemas, Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, Brasil, v. 7, n. 2, p. 66-92, jul./dez. 2017.

RESUMO

O objetivo deste artigo é analisar a importância socioeconômica e a heterogeneidade da agricultura familiar no meio rural do estado do Rio Grande do Norte (RN). Para tanto, utiliza dados e tabulações especiais do Censo Agropecuário 2006, do IBGE. Após apresentar um breve balanço da evolução da estrutura agrária potiguar, e discutir as suas especificidades à luz da literatura sobre o tema, o trabalho demonstra que a agricultura familiar é o setor predominante em número de estabelecimentos, pessoal ocupado e produção de alimentos no campo, embora detenha apenas um terço das terras agrícolas. Além disso, os dados trabalhados evidenciam que o segmento familiar norte-rio-grandense é caracterizado por uma marcante diferenciação interna, sobressaindo um elevado contingente de produtores pobres e extremamente pobres enquadrados no chamado Grupo B do PRONAF. Essas e outras evidências sinalizam que a agricultura familiar do RN não pode ser negligenciada, quer seja em termos analíticos, quer seja do ponto de vista das políticas públicas, sendo fundamental avançar na compreensão de suas diferentes dimensões a fim de planejar ações estruturantes visando à promoção do desenvolvimento rural no estado. Leia Mais

Economistas na mídia potiguar

Os economistas potiguares, de fato, estão contribuindo que forma mais contundente com a sociedade. Suas participações nas mídias e redes sociais, levando informações preciosas e dirimindo todas as dúvidas em importantes áreas da economia do dia a dia do norte-rio-grandense, com linguagem simples e direta, contribui para melhor entendimento de temas, que até então tinham linguagem própria. Leia Mais