Ano Celso Furtado – Documentário sobre a vida do grande economista brasileiro.

Por uma concessão especial do diretor José Mariani, ao Cofecon, como parte das comemorações do ano do centenário de Celso Furtado, o Sistema Cofecon/Corecons tem acesso ao documentário “O longo amanhecer”, cinebiografia do grande economista. O filme pode ser acessado por meio do link https://vimeo.com/134040089, senha: CF 100 (com espaço no meio). Leia Mais

Finalmente 1,5 milhão de novos selecionados Auxílio R$ 600,00

Para alguns pessoas, depois de quase três meses de espera pelo governo, finalmente, foi anunciado mais 1.5 milhão de novos selecionados para receberem o Auxílio Emergencial, que se juntaram aos 65 milhões de vulneráveis que já receberam a ajuda federal de renda de R$ 600, a R$1.200,00 se for chefe de família.

Segundo a Caixa Econômica já foram liberados cerca de R$ 121 milhões, que deram um bom impacto em nossa economia, afinal, já tivemos boas sinalização do aumento do varejo em mais de 14% e do setor industrial da ordem de 7,7%, o PIB de maio sinaliza um crescimento de 0,7%, mas ainda pouco para recuperar o tombo que a economia levou em março de abril, acumulado perdas de quase 14%.

Mas, já foi um bom resultado em relação aos meses anteriores da nossa economia, numa prova, que como estamos insistindo pela ampliação das parcelas novas do Auxílio em 4 parcelas ao invés das duas já acertadas, nem que seja feita uma reforma no orçamento da União remanejando recursos de uma área menos nobre para atender os 4 meses que continuamos insistindo, bem como de estimular a nossa economia e manter a necessária renda para população mais vulnerável.

Corecon-RN-Observatório COVID-19. Nova fase de flexibilização do isolamento social.

O presidente do Crecon-RN, Ricardo Valério, em seu comentário retoma o assunto da semanada, que é a flexibilização gradual do comércio e seus cuidados em torno dos protocolos, que amanhã, nesta quarta-feira,13, entra em uma fase muito importante, no qual o sucesso depende, fundamentalmente da classe empresarial, mas notadamente, da disciplina da população dos decretos da OMS, do Governo do Estado e das prefeituras.

Fazendo um alerta e um apelo no sentido que a flexibilização, não pode ser confundido com um “liberou geral”: “Muito pelo contrário, agora mais do que nunca, a sua participação, a sua disciplina é fundamental para que possamos não ter nenhum processo de regressão”, sentenciou o Presidente do CoreconRN, Ricardo Valério.

Mais importante ao RN: A construção do aeroporto Aluízio Alves ou a duplicação da BR 304?

O Presidente do Corecon-RN, Ricardo Valério, faz um comentário sobre o Aeroporto Internacional Aluízio Alves, seu antecessor, o Aeroporto Augusto Severo e a BR304.

Ricardo fala da preocupação de algum tempo dos economistas do Conselho, que vem cobrando, ao logo dos tempos, dos governantes potiguares um planejamento estratégico para o desenvolvimento de infraestrutura. O Governo Fátima Bezerra já ensaiou elegendo o sistema modal, entretanto, foi atropelado pela pandemia.

A construção do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, que foi construído para ser um urbe, o que não aconteceu e está sendo devolvido pela Inframérica acumulando um prejuízo de quase R$ 1bilhão, nessa esteira o presidente do Corecon-RN, lembra que na época o Augusto Severo tinha sido eleito um dos melhores aeroportos do Brasil e que poderia muito bem ter sido ampliado atendendo às demandas futuras.

Ricardo, faz um questionamento de bastante pertinente a falta de planejamento e prioridades dos governantes do Rio Grande do Norte. O que seria mais importante, para o Estado? A construção do Aeroporto Aluízio Alves ou ampliação do Augusto Severo juntamente com a duplicação da BR 304, no trecho de Natal/RN à Aracati/CE, interligando Natal/Mossoró/RN a todo nordeste?

Conselho de economia lembra que a flexibilização depende de todos

Notícias muito recentes do início da noite de ontem (09), sinalizavam que a pressão dos leitos de UTI críticos começa a ceder, ficando em média na faixa de 90,3% em todo Estado. As preocupações maiores permanecem ainda na região metropolitana de Natal (95,7%). Mas, nas demais regiões caem para 84,6% no Oeste e caem para 80% no Seridó.

E um dado a ser comemorado, e mostra também, a evolução na melhoria do sistema de transportes de ambulância, que teve a oferta ampliada pelo Governo do Estado, e pelo aumento de leitos disponíveis, é um ponto relevante a ser festejado, de que tem mais leitos disponíveis, do que pacientes em fila de espera. Uma ótima sinalização, depois de várias semanas sempre com pacientes na espera de leitos, ao ponto de termos perdidos, infelizmente, muitas vidas.

Leia Mais

Adesão ao distanciamento social no RN e em Natal: respostas à reabertura econômica e à interiorização da COVID-19

Como parte do plano de reabertura gradual do comércio na capital do Rio Grande do Norte, a partir de 30 de junho foi autorizado o funcionamento de atividades não essenciais como as de informação, comunicação, agências de publicidade, salões de beleza, barbearias entre outros. No âmbito estadual, a partir de 1º de julho de 2020 foi anunciado o retorno de vários serviços e orientados por um cronograma de retorno das atividades econômicas que em certa medida coincide com o plano de reabertura previsto pelo município de Natal.

Em nota publicada em 03 de julho de 2020 com base em dados do relatório Google Community Mobility para alguns estados da Região Nordeste analisando o período de 15 de fevereiro a 22 de junho, verificou-se que a movimentação de pessoas para alguns estados  superou as expectativas para uma fase de reabertura gradual da economia. No caso do Rio Grande do Norte, que desde o dia 4 de junho encontrava-se sob a versão mais rígida entre todos os seus decretos de distanciamento social, a tendência geral de circulação de pessoas foi de declínio em um primeiro momento, mas com posterior retomada dos níveis de mobilidade ou ao menos de estabilização, a depender do tipo de local analisado. Leia Mais

Reabertura econômica e mobilidade da população: um retorno gradual?

O Brasil entrou no mês de julho superando a marca de 1.4 milhão de casos confirmados e mais de 60 mil óbitos por COVID-19. Embora o cenário ainda seja de tendência de crescimento do número de novos casos diários, desde maio alguns governos estaduais e municipais vêm anunciado medidas de reabertura gradual de atividades econômicas que sob os decretos de distanciamento social eram classificadas como não essenciais. No país, os protocolos de flexibilização nem sempre são orientados por critérios objetivos, como a observação da taxa de transmissão da doença e da taxa de ocupação de leitos hospitalares para pacientes com COVID-19, e da identificação de novos casos por meio de procedimentos de testagem em massa. Leia Mais

Corecon-RN-Observatório COVID-19. Muitos Auxílios estão em análise, 620 Mil recebem irregulares.

O presidente do Crecon-RN, Ricardo Valério, comenta sobre a chamada Lei do Gerson, que gosta de levar vantagem em tudo, foi praticado também em relação ao Auxílio Emergencial, que já atendeu 65 milhões, e tem ainda 1,9 milhões com seus cadastros em análises.

O mais negativo de tudo, foi que a CGU – Controladoria Gera da União, chegou as conclusões, que cerca de 620 mil espertalhões, entre eles servidores públicos, militares e até gente de alta renda, com casamento marcado no Caribe, estão indevidamente entre os beneficiários e vão ter que devolver as parcelas pagas já liberadas. Embora, todos que acompanham os comentários do observatório COVID-19 sabem, que o Presidente do Corecon/RN, Ricardo Valerio, vinha defendendo mais 4 parcelas de 600 ou até 400 reias, desde que fossem pagas em mais 4 meses, para melhor aquecer a economia, e notadamente para resguardar as populações mais vulneráveis, por mais meses de garantia de renda mínima, até porque para 3,5 milhões de beneficiários do Auxílio Emergencial foi a única renda usufruída pelas famílias. Valério, defende ainda, um remanejamento no orçamento da união, para transferir os recursos de áreas menos nobre, para poder viabilizar as 4 parcelas ao invés das duas parcelas, em que pese , reconhecer que já foi de fato um avanço o pagamento no mesmo valor das duas parcelas já anunciadas.

PERDA DE ARRECADAÇÃO DO ESTADO CHEGA A MEIO BILHÃO

Em nossos comentários, ainda no final do mês de abril,  já estimávamos que até o final do ano de 2020, que o Governo do Estado, corria o risco de acumular perdas da ordem de um bilhão de reias e, tudo indica, que nossas previsões podem infelizmente a vir a se confirmar, visto que nesta sexta-feira(3), o Secretário de Planejamento do Estado , economista Aldemir Freire, revelou que até o presente momento o estado já perdeu quase meio bilhão de reais. Afora as perdas notadamente mais acentuadas do ICMS e do FPE, o Governo vem tendo gastos adicionais nas campanhas de combate e prevenção da COVID-19, nas aquisições de equipamentos para ampliação de mais 400 UTI’s e contratação de pessoal da área de saúde temporariamente, já tendo gastos cerca de 270 milhões de reais , o que deve agravar o rombo nas contas do Estado, em que pese os repasses compensatórios do Governo Federal.

Concurso de Resenhas Cofecon/ANGE homenageia a obra de Celso Furtado. Inscrições abertas!

O economista Celso Furtado completaria 100 anos em 2020. Uma das iniciativas realizadas pelo Cofecon neste ano para homenagear sua memória e as contribuições para a Ciência Econômica é o Concurso de Resenhas, realizado em parceria com a Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Ciências Econômicas (ANGE), sobre o livro “Formação Econômica do Brasil”. As inscrições já estão abertas e seguem até o dia 2 de outubro. A iniciativa é voltada exclusivamente a estudantes de graduação em Ciências Econômicas. Leia Mais