ANA abriu processo seletivo para a área de Coordenação de regulação econômica.


cofecon
A Agência Nacional de Águas e Saneamento (ANA) abriu processo seletivo para a área de Coordenação de regulação econômica. São 4 Vagas para Economistas – servidores ou empregados públicos federais graduados em Economia ou em Ciências Econômicas.

As vagas possuem disponibilidade de teletrabalho integral e semipresencial. Alguns dos requisitos são: ter concluído o estágio probatório, ter registro no Corecon, não estar respondendo processo administrativo disciplinar e uma autorização prévia da chefia imediata. Os interessados devem encaminhar currículo vitae e telefone para: michael.sanches@ana.gov.br. O procedimento de cessão de servidores ou empregados públicos federais é realizada entre o órgão de origem/entidade e a ANA.

Para mais informações, acesse: tinyurl.com/2mw4drdv (link na bio

Quero Ser Economista

Se você é estudante de Ensino Médio e se interessa por temas econômicos ou ainda não definiu qual profissão seguir, participe do Desafio Quero Ser Economista! O Desafio é uma competição realizada totalmente em ambiente virtual para que você conheça mais sobre a Economia, uma ciência fascinante que estuda o passado e o presente para melhor compreender o que poderá acontecer no futuro, buscando sempre o bem-estar de todos. Leia Mais

UERN – Debates Econômicos

A UERN – Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, através do departamento de economia da FACEM, convida a comunidade interna e externa para participar do ciclo de Debates Econômicos organizados pela instituição, com transmissão pelo canal DEC ECONOMIA UERN – Youtube. Os participantes receberão certificados com carga horária de 2 horas. Leia Mais

Inscrições ao XXVII Prêmio Brasil de Economia

O Conselho Federal de Economia (Cofecon) abriu inscrições ao XXVII Prêmio Brasil de Economia (PBE)! A premiação é destinada a economistas registrados e adimplentes nos Corecons de suas respectivas regiões, que poderão inscrever trabalhos nas seguintes categorias: artigos temáticos sobre os 70 anos da profissão, livros de economia, artigos técnicos/científicos ou monografias de conclusão da graduação. Para participar, basta preencher o formulário disponível no site do PBE. Prêmios chegam a R$ 8 mil em dinheiro!

Superintendente do Corecon-RN fala sobre o novo Auxílio Emergencial

O Superintendente do Corecon-RN, Ricardo Valério, falou nesta terça-feira (06) ao Bom Dia RN, Intertv/Cabugi, sobre o impacto que terá o pagamento do novo Auxílio Emergencial para cerca de mais 45 milhões de beneficiários, muito embora sendo de menor valor, ainda assim será importante para famílias que sem o auxílio, certamente, muitos potiguares estariam descendo para linha de pobreza, causando um profundo agravamento social para estas pessoas vulneráveis que já têm uma renda familiar bastante baixa.

Ricardo discorreu sobre quantidade de pessoas beneficiadas, do escalonamento do auxílio “É algo em torno de 46 milhões investidos, em 4 parcelas, na media de 250 reais, ou ainda de 150 reais para a composição unipessoal e de até 375 reais para mães chefes de família. O auxílio emergencial, embora seja menor em 20 milhões de pessoas a menos, e valor da metade do ano passado, ainda assim será importante para a economia ser oxigenada e principalmente para as famílias mais vulneráveis”, explicitou.

 

O Brasil não é pobre: é mal distribuido

O presidente do Cofecon, Antonio Corrêa de Lacerda, concedeu entrevista à Agência Sindical para falar do arrocho do Presidente da República, Jair Bolsonaro, nos valores do auxílio emergencial. Na matéria intitulada “Professor Corrêa também vê risco de caos”, o presidente do Cofecon se mostrou crítico da redução, especialmente ante o agravamento da pandemia, a piora da economia e a queda na qualidade de vida dos brasileiros. Leia Mais

Páscoa com sabor mais amargo

Nesta sexta-feira (2) Santa, o Superintendente do Corecon-RN, o economista Ricardo Valério, no jornal RN 2ª Edição/Intertv comentou sobre o momento vivido neste período de páscoa. Logo na abertura deixou claro as dificuldades enfrentadas pelos consumidores e comerciantes: “Com toda certeza teremos uma páscoa menos doce este ano, e o varejo vai ter se contentar com um resultado mais para meio amargo do que para as doçuras dos chocolates”, frisou Ricardo.

As pesquisas da Confederação Nacional do Comércio sinalizam o menor resultado desde de 2008, com exceção dos supermercados que terão vendas ainda em alta, pois muitos consumidores vão as compras nas grandes redes.

As restrições de acesso às lojas especializadas em chocolates, vão incentivar o comércio digital, mas com toda certeza teremos uma queda nas vendas já sinalizada pelo CNC de 2.2% menor do que 1.6 bi de 2020 e não só no mercado de chocolates, mas também nos demais produtos da semana santa e da páscoa, como nos pescados, vinhos e ovos de páscoa.

O Superintendente do Corecon-RN, sugeriu aqueles que gostam de presentear: “Se seu presenteado concordar, uma dica importante: deixe para presenteá-los somente no domingo a tarde ou na segunda-feira com ovos de páscoa, pois você comprará o mesmo com cerca de 50% ou mais de descontos. Outra dica e até uma recomendação aos nossos consumidores: Procurem dar preferência a comprar ovos artesanais e caseiros.

Além de serem muitos saborosos e com maior teor de chocolate você vai está contribuindo com um empreendedor local e gerando a circulação da renda em seu próprio estado e valorizando centenas de produtores caseiros”, explicitou Ricardo Valério.