Agricultura familiar no Nordeste: olhares a partir do Censo Agro- pecuário 2017

A agricultura familiar é uma forma de produção e trabalho bastante pre- sente no campo brasileiro, embora tenha sido historicamente marginalizada. Mesmo assim, desde o final do século XX aconteceram muitos avanços em termos do reconhecimento institucional da importância econômica e social dessa categoria de produtores, tendo como marco a criação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), em 1996. Leia Mais

Economista Robespierre sugere que demanda pressiona preço do combustível para cima ou para baixo

O economista Robespierre do O’Procópio, Diretor do Sindecon-RN, falou, nesta segunda-feira (19), ao RN2 IntertvCabugi, afiliada da Rede Globo, sobre os aumentos dos combustíveis e como funciona o mercado consumidor, no que tange a relação entre cliente e fornecedor, tendo este primeiro o poder de pressionar ou não a demanda fazendo com que isto seja significativo no aumento ou diminuição da produção do produto e consequentemente os preços tendem a acompanhar esta lógica.

O consumidor final pode mudar de comportamento o utilizando outro meio de transporte que não seja a gasolina, gás natural, Diesel, para isto usar bicicletas para curtos trajetos e assim, fugir do alto custo do preço, o qual se mostra no Rio Grande do Norte o segundo mais caro do país, perdendo apenas, para o estado do Acre: “ Na hora que o consumidor diminui o seu consumo de gasolina o posto vai vender menos, a distribuidora vai vender menos, a refinaria vai vender menos, então toda uma cadeia produtiva sofre com isso, a lei do mercado: A oferta está aqui e a demanda diminuiu, então vou ter que adequar a esta oferta. Como é que adequo? Diminuo a produção ou diminuo o preço”, expôs Robespierre.

A 10ª Gincana Nacional de Economia

A 10ª Gincana Nacional de Economia oferece aos estudantes de Ciências Econômicas a oportunidade de entenderem a conjuntura econômica do país por meio de uma simulação divertida e inteligente, propondo a compreensão da dinâmica da economia na prática.

As inscrições poderão ser feitas até 14 DE JULHO, sem custo. Haverá prêmios em dinheiro para os quatro primeiros colocados, totalizando R$ 7 mil reais.

Confira acima o convite da Vice-presidente do Cofecon e coordenadora da X GNE, Denise Kassama.

Para inscrições e mais informações, acesse http://www.cofecon.org.br/gincana/

O professor de economia Tales Augusto fala sobre aumento dos combustíveis

Nesta manhã de quinta-feira,8, o professor de economia da UFRN, Tales Augusto, fala com a jornalista Sara Cardoso e Paulo Martins no Bom Dia RN/Intertv, sobre os sucessivos aumentos dos combustíveis que afetam diretamente a economia popular e o bolso das populações mais carentes.

 O professor Tales explicita toda a cadeia de custos, entre eles, preço internacional, ICMS e logística, que compõe o preço final dos derivados de petróleo, principalmente a gasolina, diesel e gás de cozinha, tendo este último oferecendo uma pressão bastante grande sobre a classe mais baixa.

Desigualdade e adiamento do Censo desafiam políticas públicas no pós-covid

O portal do Correio Braziliense publicou nesta quinta-feira (01) uma matéria repercutindo o debate de conjuntura realizado pelo Cofecon, que contou com a participação dos economistas Marcelo Neri e Rosa Maria Marques. Leia abaixo o texto de Fernanda Fernandes, que pode ser acessado em: https://bityli.com/NnY7N.

Economistas avaliam impactos da pandemia em diversos setores, em especial na educação, na qual o retrocesso é nítido. Eles lamentam a decisão do governo de adiar o Censo, instrumento fundamental para a elaboração de políticas públicas. Leia Mais

Ricardo Valério fala sobre aumento da taxa Selic

Neste último sábado dia 26, o Superintendente do Corecon-RN, Ricardo Valério concedeu entrevista ao RNTV, da IntervtCabugi comentando sobre o aumento da taxa de Selic elevando os juros contratados pelo consumidor, tendo reflexos imediato aos usuários do cartão de crédito, reduzindo o poder de compra e consequentemente a capacidade de muitos a cumprirem seus compromissos.

“Em função do Banco Central sinalizar o aumento da inflação e ter que aumentar a taxa básica para tentar controlar o centro da meta de 3,75% ao ano, as recomendações para quem deve cartão de crédito é fugir e trocar por uma dívida mais barata de um crédito pessoal ou até mesmo o financiamento do seu carro próprio, caso ele seja quitado.”, sugeriu, o economista Ricardo Valério.